Saúde, Vida e Bem-Estar

Substitua o pão pela mandioca

Saúde, Vida e Bem-Estar 19/03/2020/ 18:08:46
Substitua o pão pela mandioca Foto: Conheça Minas - Eco Vida

A receita de pão existe há mais de 6 mil anos, só não é mais antiga que a receita de queijo. Todos comem pão com manteiga e aquele delicioso cafezinho, indispensável no café da manhã para a maioria. A receita do pão é básica: farinha de trigo, água, sal e fermento. Ai vem a criatividade do padeiro. Existem tantos pães, com tantos acréscimos nas receitas que a dúvida é escolher. 

O imbatível na preferência é sem dúvida o Pão Francês, que na verdade não é francês, é brasileiro. Sua origem é do século passado, quando brasileiros visitaram a França e experimentaram pães franceses, trazendo uma das receitas francesas e passaram para os padeiros brasileiros. Estes fizeram um pão ao seu entender, mas totalmente diferente do pão original, mas muito bom e crocante, que caiu no gosto de todo o brasileiro.

Hoje é impossível pensar num café da manhã sem o famoso pãozinho de sal. Mas é melhor pensar. 

Não é um bom alimento, isso por conta da farinha de trigo, que é bem diferente da farinha de trigo do século passado, mais pura e natural, por isso, com menos concentração de glúten no pão. Hoje acredita-se que essa concentração tenha chegado a cerca de 400% nos pães, comparando-se com com o glúten nos pães do século passado. Sem contar os agrotóxicos usados nas lavouras, hoje. O trigo faz desse pão e outros alimentos que usam trigo, rico em açúcares, carboidratos e glúten. O que não é nada bom para a saúde.

Além do trigo Ainda mais porque os padeiros hoje abusam demais do açúcar e gorduras, além de ter glúten e muito sal. A matemática é simples: num pãozinho de 50 gramas encontra-se 28% de carboidratos que em quase sua totalidade se converte em glicose, aumentando os níveis de açúcar no sangue.

Mas o que pode substituir o pão no café da manhã? Simples: a mandioca. Um alimento sem glúten e sem lactose.

A Organização das Nações Unidas (ONU) considera a mandioca como o alimento do século 21, usada para consumo humano e também de animais. Não só isso. Da mandioca se aproveita tudo como caule, folhas, flores, seiva. Seus derivados são usados na fabricação alimentos básicos como o polvilho e a farinha que geram receitas diversas e saudáveis. Como alimento cozido é muito apreciada em pratos com carnes e ralada, para fazer bolos e quitandas. Além disso, seus derivados são usados na fabricação fertilizantes, na indústria têxtil, de papel e celulose e na indústria fármaco e de cosméticos e até na siderurgia.

Como alimento, a mandioca é rica em vitaminas A, B1, B2 e C. É muito indicada na dieta de diabéticos. A mandioca garante uma digestão mais fácil, mantendo os níveis de energia altos por mais tempo, além de liberar glicose lentamente no organismo, graças a sua composição rica em carboidratos especiais que não geram picos de glicemia, produzindo açúcar lentamente.

Portanto, entre pão e mandioca, prefira a mandioca.

Lembre- se: todo alimento deve ser consumido com moderação e de preferência, orientados por um médico e nutricionista, após ser feita avaliação clinica de sua saúde. Na prática de esportes, procure um profissional de orientação da Educação Física apresentando a ele os resultados de seus exames clínicos. Ele saberá te orientar. Cuide de sua alimentação e saúde.

Fonte: Conheça Minas - Eco Vida

Outras Notícias